Blog

A vez da voz

Por Tatiana Arantes

Você já parou pra pensar que há algum tempo praticamente deixamos a voz de lado ao aderirmos ao touch? Sim, passamos a nos comunicar basicamente por mensagens via celular e também usando o teclado do computador. Porém, o jogo mudou e estamos retornando com tudo à voz, dessa vez para executar uma infinidade de comandos, e não simplesmente falar ao telefone.

O conteúdo por voz vem ganhando cada vez mais força.

Basta observar um pouquinho o seu dia a dia para notar como os dispositivos inteligentes e os assistentes digitais Siri/Apple, Alexa/Amazon, Cortana/Microsoft ou Google Assistant, estão invadindo nossas vidas. Não acredita? Então pense em quantas vezes realizou uma pesquisa por voz em seu celular para procurar um endereço, ou mesmo quando quis encontrar um contato na agenda do seu telefone. Pois é, muito em breve, quando menos esperarmos, os dispositivos que funcionam por voz serão parte integrante do nosso cotidiano.

Voz que democratiza
A voz conversacional tem conquistado espaço devido à sua agilidade e praticidade. É um formato de comunicação mais democrático (de fácil utilização tanto para jovens como para idosos), mais acessível (uso perfeito para carros conectados) e que permite multitarefas (você pode cozinhar enquanto ouve uma notícia, por exemplo).

A crescente adoção dessas tecnologias, que automatizam nossos afazeres rotineiros, tende a ampliar o uso do comando de voz para diversas atividades, sem a necessidade de trocar de aplicativos ou dispositivos, como: lembrar compromissos, solicitar um Uber, fazer a lista do supermercado, procurar uma receita etc.

Buscas por voz
Segundo a Forrester Research, as pesquisas por voz em smartphones, tablets e assistentes digitais está crescendo em todas as faixas etárias, inclusive entre as pessoas com idade acima de 50 anos.

Atualmente são feitas, por semana, mais de 1 bilhão de buscas online por comando de voz via Siri, e cerca de 10% de todas as pesquisas do Google são dessa natureza. Estimativas indicam que nos próximos dois anos corresponderá a 50% das buscas. E, em 2021, deve chegar a 4 bilhões o número de pessoas que pesquisam por meio da voz.

Massificação dos dispositivos inteligentes
Há uma grande aposta na popularização dos dispositivos de voz, como o Google Assistant, a Alexa e a Cortana, que são os que se sobressaem. A Amazon é a que mais se destaca, com 80% do mercado: cerca de 16 milhões de Amazon Echo foram vendidos em junho de 2017. Seu principal concorrente é o Google Home, pelo menos até que a Apple lance o seu Homepod, que deve chegar às lojas no início de 2018.

Bem, nem preciso dizer que essa indústria é relativamente nova, mas já traz toda uma mudança no comportamento do consumidor. E isso vai causar uma revolução para as marcas.

Como ficam as marcas?
Os dispositivos controlados por voz proporcionam às marcas uma nova forma de se fazerem presentes no cotidiano dos consumidores. Por isso, elas têm que investir em interfaces conversacionais, para que, literalmente, tenham voz quando um consumidor quiser se envolver com elas, e em plataformas mais acessíveis e assertivas, tendo como interação a voz do assistente digital.  

Mais importante ainda: é essencial entender muito bem essa “nova era” e desenvolver conceitos realmente envolventes, que viabilizem interações contínuas com o público.

O marketing deve focar no áudio, acentuando recursos a serem transmitidos pelo som, como efeitos sonoros e trilhas estrategicamente selecionadas. Criar experiências simultâneas para o consumidor, ou seja, ele pode preparar o jantar, exercitar-se e até dirigir seu carro ao mesmo tempo em que interage com o dispositivo por meio da voz.

Resumindo: um mundo novo se apresenta para o Marketing de Conteúdo! É a vez da voz e o momento é de se preparar para manter-se competitivo.

Marketing de Conteúdo de Voz: 3 fatores importantes
O posicionamento e a relevância da marca na web são de extrema importância para este momento em que os assistentes de voz utilizam informações publicadas na rede para orientar/ responder aos usuários.

Marketing de Conteúdo de Voz: 3 fatores importantes

 

Confira abaixo a sacada do Burger King para divulgar o seu principal produto: o Whopper. Com apenas um vídeo de 15 segundos, o personagem faz uma simples pergunta: “O que é o Whooper Burger?”. Instantaneamente, os dispositivos Google Home e Google Assistant (mobile) eram ativados e respondiam, baseados na página americana do Wikipédia, quais os ingredientes presentes no hambúrguer.

 

Obviamente, a ideia/ anúncio gerou muito buzz e, posteriormente, foi proibida de ser veiculada. Mas isso já deixa bem nítido para todos nós o que vem por aí quando falamos sobre assistentes de voz.

 

Tatiana Arantes

Gerente de Marketing Digital

Publicitária, pós-graduada em Gestão de Varejo, especialista em Google Adwords, Inbound Marketing e Marketing Digital de Performance. Com 7 anos de mercado e há 4 focada em marketing digital, acumula experiência em plataformas de e-commerce, gestão de equipe e projetos inbound. Na LabCom desde 2015, está à frente de planejamento, atuação e monitoramento digital de todos os clientes da agência.